quarta-feira, 11 de abril de 2007

like a friend


dear friend happy birthday



"A raça humana, creio eu, ser a única que tem uma tão vasta variedade de elementos designados como amigos.

Senão vejamos…

Existem os amigos de infância com quem andamos muitas vezes à estalada, mas que não dispensamos para as nossas brincadeiras.

Os amigos de pré-adolescência a quem frequentemente, confidenciamos mais do que seria desejável.

Amigos de adolescência que nos acompanham nas borgas e nos mais diversos disparates próprios da idade, já por si idiota.

Chegados ao estado adulto, passamos a ter uma série de amigos que nos visitam e presenteiam o jantar com uma interminável descrição do seu carro novo, último modelo, muito melhor que o nosso velho calhambeque.

E quando as maleitas da idade começam a apertar, é então altura de andar ao despique com os amigos a ver quem sofre do pior mal.

No entretanto, vamos tendo os amigos que vão e vêm ao sabor da corrente. Os amigos colegas que deixamos de ver após um ou dois anos. Os amigos da coscuvilhice, da má-língua e da conversa de xáxa. Ahh e os amigos da onça.

Bolas, ia-me esquecendo daqueles amigos que nunca se esquecem de nós especialmente quando precisam de qualquer “coisinha simples” e dos Grandes Amigos que podem ser de pequena ou grande estatura, viver do outro lado do mundo, aqueles que estão sempre lá nas horas chatinhas, choram e riem por, para e connosco, fazem qualquer coisa por nós em troca de nada e nunca dizem que são amigos, porque... não precisam dizer!!"

(lembras-te?)


9 comentários:

poca disse...

haja amigos!
dos grandes e dos de passagem!
dos que vão e dos que ficam..
mas que haja sempre amigos..

antónio paiva disse...

...............

:)**

................

Noite serena

Å®t_Øf_£övë disse...

foryou,
Eu só consigo viver na amizade que descreves em último lugar. Para mim são as únicas amizades verdadeiras. Todas as outras formas que descreves, não se enquadram no meu conceito de amizade. Talvez lhe possa chamar apenas companhias de circunstância.
Beijinhos.

voyeur disse...

Lembro-me. Que sou teu amigo.

Nilson Barcelli disse...

Olá
Obrigado pelo teu comentário e pela trabalheira que tiveste.
Não conhecia este teu blogue (também ainda é uma criança) nem os outros dois em que participas.
Gostei dos 3 textos que aqui li e, por isso, antevejo um blogue com muito interesse em ser lido.
Relativamente aos amigos, há-os para todos os gostos e feitios... Mas a verdadeira amizade não precisa de ser referida (como falas) nem explicada, sentimo-la quando existe.
Beijinhos.

um amigo disse...

:)

eu até podia dizer que esta musica é um espectáculo, mas todas são

(se me lembro?...
nunca esqueço)

V disse...

Até eu me lembro, míuda. Alguém consegue esquecer-te?

Nilson Barcelli disse...

Bom fim-de-semana.
Beijos.

antónio paiva disse...

................

nunca mais te peço nada

era preciso vires para aqui falar dessas coisas

pobre de quem precisa de pedir

:p:p:p:p

................

Mas não é por causa disso, que não te vou deixar, o beijo e o desejo de uma noite serena :)